Como se concentrar nos estudos

COMO SE CONCENTRAR NOS ESTUDOS?

Quem tem problemas para se concentrar nos estudos sabe o quanto esta é uma tarefa difícil. Enquanto para alguns é algo simples, para outros precisa ser encarado como um exercício constante. E as causas, desta possível dificuldade, podem ser várias, inclusive, muitas delas podem ser controladas por você. Por exemplo, o excesso de informações que absorvemos durante o dia, especialmente pelas redes sociais. Isso pode criar um grande problema quando o assunto é se concentrar para estudar.

E não é apenas isso. A autocobrança, especialmente para aqueles que estão estudando para o Enem, Vestibular ou concurso, pode ser um fator importante. A pressão para passar o quanto antes causa estresse e ansiedade o que, por sua vez, afeta a concentração.

Mas, da mesma maneira que existem diversos fatores que contribuem para a falta de concentração, também existem soluções e é sobre elas que falaremos agora. Confira!

 

Como aumentar o foco na hora de estudar?

 

Use a técnica Pomodoro

Já ouviu falar nessa técnica? Ela consiste em dividir o tempo em pequenos espaços com intervalos entre os momentos de estudo: 25 minutos estudando e 5 minutos de descanso. No quarto ciclo, o descanso pode ser maior, de 10 a 30 minutos. Uma das principais vantagens da Pomodoro é que ela pode ser adaptada a cada estudante.

Por exemplo, pode ser que você consiga se concentrar por mais tempo, cerca de 40 minutos e queira descansar por 10 minutos. É o tempo de beber uma água, esticar as pernas e tomar um pouco de ar. Outra vantagem é que você nem precisa baixar aplicativo ou algo parecido, pode usar o cronômetro do seu celular.

Esse tempo de descanso é necessário para que o cérebro consiga “respirar” e se reorganizar para retornar aos estudos. É como quando estamos fazendo musculação, é preciso descansar entre a séries para continuar o treino.

 

Escreva para manter a atenção

Ficar apenas prestando atenção na aula e ouvindo o professor é uma forma de estudo passivo e, por isso, as chances de você se distrair são muito maiores. Ao escrever, é necessário estar atento a todo momento, tornando-se um estudo ativo, ou seja, você precisa fazer alguma coisa durante aquele tempo. O mesmo vale para o estudo em casa: só ler fará com que você perca o foco rapidinho.

 

Não digite, escreva

Na era da tecnologia, são muitos os alunos que usam o computador para fazer resumos e anotações do que o professor fala em sala de aula. Porém, escrever à mão é muito melhor, principalmente porque, fazer anotações em um dispositivo digital abre possibilidades para acesso a diversos sites ou, pior ainda, às redes sociais em um momento nada oportuno.

Entenda, as redes sociais não são ruins, mas quando utilizadas no momento errado e para finalidade fora do contexto, podem prejudicar o seu aprendizado. E, falando em aprendizado, quem escreve à mão consegue levar mais informações para a memória de longo prazo.

Tenha um local de estudos organizado

Que diferença vai fazer estudar em um local organizado ou bagunçado? Toda! A desorganização do ambiente, também conhecida como poluição visual pode atrapalhar e muito o funcionamento do cérebro, inclusive, aumenta o nível de estresse. O nosso cérebro é uma máquina bastante eficiente e, portanto, busca sempre gastar o mínimo de energia.

Portanto, um ambiente que já está devidamente organizado vai requerer menos atenção do cérebro e o fará focar mais na tarefa que estiver fazendo, ou seja, no material de estudo. 

 

Estude em um ambiente silencioso

Você é do tipo de pessoa que se distrai com uma mosca passando? Então, definitivamente, você precisa de um local tranquilo e silencioso para estudar. Em casa, o seu quarto será provavelmente o local ideal. Pode fechar as portas e as janelas e se concentrar, mas se você divide o espaço com o seu irmão, então é bom providenciar outro ambiente.

O ideal seria que os pais reservem um ambiente apenas para estudos em sua casa. É uma forma também de dizer ao cérebro “se você está aqui é porque está na hora de estudar” o mesmo que estar deitado na cama possa representar a hora de dormir, compreende? Mas se esse não é o caso, é possível encontrar um local na biblioteca municipal ou mesmo na própria instituição de ensino. Além disso, em algumas cidades é possível alugar uma baia de estudo em empresas especializadas no assunto. 

 

Escolha o seu horário de maior produtividade

Algumas pessoas são noturnas, ou seja, produzem melhor à noite. Já outras, são diurnas e são pessoas que preferem acordar com as galinhas do que ficar até altas horas da madrugada estudando. Nesse caso, o mais importante é se conhecer e começar a fazer uma autoanálise. Em qual momento do dia você está mais disposto a fazer a maioria das tarefas? Você prefere dormir tarde ou acordar cedo? Não existe resposta certa, o melhor é cada um encontrar o horário mais adequado para estudar.

 

Deixe tudo preparado 

No dia anterior, antes de ir dormir, o melhor a fazer é deixar tudo organizado para o dia seguinte. Só o fato de não precisa ficar levantando da mesa porque esqueceu uma caneta, não tem folhas suficientes, entre outros itens, fará com que o seu foco aumente. Portanto, deixe tudo o que precisa para estudar na sua mesa ou próxima a ela, assim, a concentração fica maior.

 

Seja disciplinado

A disciplina anda abraçada com a concentração. Uma pessoa disciplinada para estudar, muitas vezes, pode obter melhores resultados do que um aluno que é considerado extremamente inteligente, mas displicente e irresponsável com os estudos. Estabeleça horários para estudar, monte um cronograma, determine qual matéria vai estudar por dia e mãos à obra!

 

Como lidar com o TDAH?

Aqui vamos entrar em uma situação extraordinária. Os portadores de TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade) possuem uma dificuldade natural em se concentrar em qualquer coisa que façam, especialmente nos estudos. E se você acha que essa patologia é coisa de criança, engana-se. Adultos também têm TDAH, porém, a dificuldade de diagnosticar é maior, pois, frequentemente, não possuem a hiperatividade.

A desatenção é um dos principais sintomas. Aliás, se te chamam constantemente de “avoado”, impulsivo, que “vive no mundo da lua” ou que parece “ligado por um motor”, então é bom investigar. Se tiver algum caso na família é mais um fator, pois uma das causas da doença é a hereditariedade. 

Quem tem TDAH possui um tipo de alteração biológica na região frontal do cérebro. Há um desequilíbrio na síntese e distribuição de neurotransmissores como noradrenalina, serotonina e dopamina. Portanto, caso você seja diagnosticado, apenas seguir as dicas deste conteúdo não vai adiantar. Pode melhorar, mas ainda assim, terá alguma dificuldade. O melhor a fazer é procurar por um profissional, ou seja, o psiquiatra, para conseguir fazer as suas tarefas diárias sem grande dificuldade. 

Se concentrar nos estudos não é algo que vai acontecer da noite para o dia. Formar o hábito é essencial para permanecer cada dia mais habituado no ato de se concentrar. Não se cobre muito e tente fazer um pouco mais todos os dias. Depois de algum tempo, sentar para estudar e se manter focado será algo natural para você, pois sabemos que nosso cérebro é totalmente flexível e pode se condicionar facilmente, desde que você queira e treine para isso acontecer.

Gostou das nossas dicas? Então, assine a nossa newsletter e receba em primeira mão outras como estas que vão ajudá-lo no seu dia a dia!

 

Compartilhe agora

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba nossas novidades

Mais sobre a Jandaia

A Empresa

Certificações

Sustentabilidade

Compromisso

© 2019 Jandaia | Grupo Bignardi - Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por: Agência Digital Lema