Entenda mais sobre o bullying

Conheça mais sobre bullying

O bullying tem sido um assunto muito comentado nos últimos anos e, sem dúvida alguma, precisa de toda nossa atenção. O bullying é uma violência feita de maneira covarde contra pessoas, geralmente estudantes, que não sabem ou não conseguem se defender das agressões que podem ser de ordem verbal ou física. É uma grave agressão que, na maioria das vezes, é cometida por outras crianças e adolescentes.

Vamos conhecer um pouco mais sobre esse assunto, suas terríveis consequências e como evitar e lidar com esse tipo de situação que tanto incomoda.

 

As terríveis consequências do bullying

 

Massacres

Esses ataques já tiveram consequências terríveis. Não tem como falar em bullying e não se recordar do Massacre de Columbine onde os atiradores eram os alunos mais excluídos da escola. Por serem superdotados eram considerados perdedores. Por isso, os outros alunos implicaram com eles durante 4 anos seguidos anterior ao massacre. É como se o tiroteio fosse uma maneira de dar um basta às agressões que ocorriam diariamente.

E nem precisamos ir muito longe para entender mais sobre as terríveis consequências do bullying. No Brasil, o índice de bullying é 2 vezes maior que a média global. Não é por acaso que já ocorreram massacres por aqui como os de Realengo (12 mortes) ou de Suzano com a morte de 10 pessoas.

 

Problemas psicológicos

Outro grave problema causado pelo bullying são os danos psicológicos que, muitas vezes, resultam em massacres quando os alunos que sofrem todos os dias chegam ao limite.

A criança ou adolescente pode pensar em cometer suicídio. Ele se afasta de todos da escola, não quer mais participar das atividades com os colegas e passa a não querer mais ir para o local. Além disso, quem sofre de bullying pode desenvolver problemas psiquiátricos severos como estresse, ansiedade e depressão.

 

Como identificar o bullying?

 

Para os pais pode ser um pouco mais complicado identificar se os filhos estão sofrendo bullying na escola. Com uma vida bastante corrida, muitos não conseguem parar tempo o suficiente para conversar com os filhos sobre como foi o dia ou se aconteceu algo de errado. Também há situações onde a vítima guarda o ocorrido para si e não comenta com ninguém, muito menos com os pais.

Porém, há alguns sinais que podem mostrar que há algo a ser investigado, especialmente quanto ao comportamento do filho. Veja quais são eles:

  • Seu filho está usando diversas desculpas para faltar às aulas;
  • Apresenta mudanças bruscas de humor;
  • As notas tendem a piorar;
  • Se mantém isolada e distante dos outros alunos;
  • Anda gastando mais dinheiro que o habitual nos lanches;
  • Aparece com marcas e hematomas no corpo.

Os pais precisam ficar mais atentos e participar das reuniões escolares para saber sobre as mudanças dos filhos nesse ambiente. Bullying não é coisa da idade ou coisa de jovem, bullying é errado e essa agressão precisa de um fim.

 

Como lidar com o bullying?

Se você é vítima de bullying, entenda que existem formas muito melhores de lidar com isso do que simplesmente se calar e aguentar firme. Esse tipo de comportamento violento vindo de outras pessoas não deve ser aceito como normal simplesmente porque não é.

Quem faz o bullying não aprendeu sobre os valores mais básicos de convivência em sociedade. Normalmente é uma pessoa insegura e que sente a necessidade de diminuir outras pessoas para se sentir bem. Além disso, também são pessoas que podem sofrer algum tipo de violência em casa e sente a necessidade de “descarregar” essa raiva em outra pessoa.

É claro que nada disso é justificativa, mas ajuda a amenizar o sofrimento psicológico. Pois, ao entender melhor o agressor, fica fácil perceber que ele não faz isso porque é com você, mas sim porque ele não foi ensinado a criar empatia pelo outro, o que podemos perceber aqui um defeito de caráter.

Mas afinal de contas, como lidar com o bullying? É isso que você verá abaixo!

 

Peça ajuda

Todos nós, crianças, adolescentes, adultos e idosos conseguimos lidar com os problemas até um certo limite. Depois dele, precisamos pedir ajudar. Se você já não consegue dar conta de lidar com a pessoa responsável com o bullying, peça ajuda.

Fala com o responsável pela escola, com os professores e com os seus responsáveis. Explique o vem acontecendo e peça orientação. Essas pessoas também vão tomar providências para que esse tipo de situação não aconteça mais.

 

Não alimente o desejo de vingança

É natural que quando somos ofendidos ou agredidos de alguma forma a gente queira revidar. Porém, alimentar esse sentimento de vingança é altamente tóxico e nos prejudica bastante.

A melhor forma de lidar com isso é entender o quanto aquela pessoa que faz o bullying é insegura e frágil. O bullying é apenas uma forma que ela tem de externalizar toda a raiva que tem dentro de si. Ela deve passar por sérios problemas em casa e, se formos olhar de uma maneira mais amplificada, talvez ela seja até mesma digna de nossa piedade. Não torne as agressões algo pessoal.

 

Mantenha distância

O agressor está na mesma sala que a sua? Peça à coordenação para mudar de sala. Procure ficar o mais distante possível dessa pessoa. Não tem outra sala para qual possa mudar? Sente distante, avise ao professor para nunca os colocar no mesmo grupo de trabalho. Na hora do intervalo, evite ficar só, ou se quiser, fique só, porém em locais movimentados, onde o agressor não possa fazer nada sem que seja visto por muitas pessoas.

 

Deixe bem claro que está incomodando

Tenha uma conversa franca com o agressor. Pergunte quais os motivos (normalmente não haverá um, ele simplesmente precisa extravasar a raiva de alguma forma, mas não vai falar isso) e deixe claro que está incomodando. Fale isso com firmeza e segurança e mostre que não se sente intimidado pelo agressor.

 

Não dê muita importância

Já ouviu o ditado que diz que quando um não quer, dois não brigam? Se você não der muita importância às agressões verbais de quem pratica o bullying, essa pessoa vai se cansar e procurar outro alvo ou simplesmente parar. Ao não dar muita importância, você não alimenta a raiva que ele tem dentro de si.

Está sofrendo bullying? Peça ajuda e explique a situação. O mais importante é acabar com as agressões o mais rápido possível!

Compartilhe agora

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Receba nossas novidades

Mais sobre a Jandaia

A Empresa

Certificações

Sustentabilidade

Compromisso

© 2020 Jandaia | Grupo Bignardi - Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por: Agência Digital Lema