A verdade sobre a Sacola Biodegradável no Meio Ambiente

A verdade sobre a Sacola Biodegradável no Meio Ambiente

Você já deve ter ouvido falar sobre as sacolas biodegradáveis. Mas, para começar, você sabe o que é ser biodegradável? É algo que se decompõe de maneira fácil e natural, pela ação de fungos e bactérias no meio ambiente. As plantas, por exemplo, são biodegradáveis. E por que criar sacolas com essas características?

As sacolas plásticas comuns, que vemos em supermercados e demais estabelecimentos, fazem muito mal ao meio ambiente. No mundo, são consumidas entre 500 bilhões a 1 trilhão de sacolas plásticas e só aqui no Brasil são distribuídas, em média, 1,5 milhão por hora de acordo com dados do Ministério do Meio Ambiente. Isso quer dizer que tem muita, mas muita sacola circulando por aí. O problema? Elas ficam poluindo tudo de 100 a 400 anos até se decompor.

Por isso, as sacolas biodegradáveis foram criadas, para minimizar os impactos ambientais causados pelas sacolas plásticas comuns. Veja abaixo um pouco mais sobre o assunto e como fazer a sua parte na luta por um consumo mais sustentável!

 

O que é ser biodegradável?

 

Já falamos um pouco sobre isso, mas como é um conceito importante para entender, vamos falar de uma maneira mais específica sobre o assunto. 

Diversas empresas perceberam a mudança do consumidor. Ele está mais consciente e quer fazer a sua parte para ajudar o planeta, inclusive, dar preferência para empresas que pensam da mesma forma. Por isso, muitas delas começaram a utilizar produtos biodegradáveis como as sacolas. 

A biodegradação ocorre sob condições naturais de luz, temperatura, umidade, pressão e outros fatores existentes na natureza. O material é modificado pela ação de micro-organismos, se transformando em moléculas menores para que, posteriormente, possa ser reaproveitado pela natureza. Afinal de contas, como já dizia Lavoisier “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.

E, para que um produto seja considerado como biodegradável, ele deve seguir as normas brasileiras (no caso do Brasil), a ABNT NBr 15448 ou as normas estadunidenses e europeias. Também precisa passar pelas etapas da certificação que são: caracterização química do material, biodegradação, desintegração e ecotoxicidade.

 

As sacolas biodegradáveis são realmente boas para o meio ambiente?

 

Muitas pessoas ficaram felizes com quando essa notícia apareceu. Para muitos, a solução do acúmulo de plástico no meio ambiente havia sido criada, mas não é bem assim.

A verdade é que as sacolas biodegradáveis, apesar de cumprirem as normas, levam anos para se decompor. Uma pesquisa realizada pela universidade de Plymouth, localizada no Reino Unido, passaram as tais sacolas por testes rigorosos de resistência e o resultado foi que: mesmo após 3 anos enterradas, elas conseguiram carregar compras. 

Esse é um tempo mais do que suficiente para que as sacolas acabem parando na barriga de baleias ou asfixiando qualquer outro animal. Elas, de fato, se decompõem mais rapidamente que as sacolas comuns de plástico, porém, melhorias precisam ser feitas e mudanças nas normas também.

 

Há outros materiais?

 

Sim, há outros materiais e tipos de sacolas plásticas. Temos o plástico verde, o plástico PLA, o plástico do amido e o plástico oxibiodegradável.

No caso deste último, que também participou da pesquisa mencionada acima, a diferença entre ele e os outros tipos é que se adiciona pró-degradantes feitos a partir de sais metálicos. Dessa maneira, a vida útil pode ser controlada caso seja descartado em ambientes abertos.

Mas, mesmo assim esse tipo de sacola não é tão amigo da natureza. O fato é que essa sacola realmente se degrada e se transforma em minúsculos pedaços. Porém, não consegue ser decomposta, ou seja, consumida por fungos e bactérias e, por isso, provoca prejuízos ao meio ambiente.

 

O que são sacolas compostáveis?

 

Outro tipo é a sacola compostável que se decompõe em até 180 dias e tem substância orgânica como matéria-prima principal. Inclusive, ela pode servir até de adubo para o solo. Elas são feitas com amido de mandioca e também de outras substâncias como o glicerol e poliésteres sintéticos biodegradáveis. Assim, ela consegue ser uma ótima solução para o problema da sacola plástica. A questão aqui é que elas só suportam, no máximo, 1 kg, sendo indicadas para estabelecimentos como farmácias e padarias.

 

Do que é feita a sacola convencional?

 

A matéria-prima utilizada nas sacolas plásticas comuns é um tipo de resina derivada do petróleo. Ela pode ser identificada pela sigla PEBD que significa Polietileno de Baixa Densidade. Além de demorar anos para se decompor e poder asfixiar milhares de animais, há outros prejuízos que a produção dessa sacola pode causar ao meio ambiente:

  • Consumo de fontes não-renováveis como o petróleo e o gás natural;
  • Consumo de água e energia;
  • Resíduos que são despejados nas águas dos rios;
  • Emissão de gases tóxicos para a saúde e que também aceleram o Efeito Estufa.

Recentemente, uma notícia chocou muita gente: uma baleia foi encontrada com mais de 40 kg de sacolas dentro do estômago. A maioria delas eram sacolas de supermercados e foi a causa da morte do animal. 

 

Quais são as melhores soluções?

 

Bom, como você pode perceber, ainda não existe uma solução que podemos considerar ideal. Mas, de fato, as sacolas biodegradáveis são melhores que as sacolas comuns de plástico. Mesmo que se mantenham resistentes por muito tempo, não levam a quantidade de anos para se decompor como as sacolas plásticas convencionais. 

A melhor solução de fato é evitar o uso de sacolas plásticas, sejam elas biodegradáveis ou não. E há várias maneiras de fazer isso.

Por exemplo, as mulheres costumam carregar bolsas grandes nas quais cabem vários objetos. Se for comprar um remédio ou outro item que cabe na bolsa, dispense a sacola plástica. O mesmo vale para estudantes e demais pessoas que usam mochila.

As sacolas de papel também são uma boa opção. Isto se deve a sua matéria-prima, a madeira, que é um recurso renovável e sustentável. Mesmo que seu descarte não tenha sido correto, por ser um material biodegradável com impacto relativamente baixo, sua decomposição será feita rapidamente. 

Outra maneira de melhorar o excesso do uso de saco plástico e sacolas descartáveis é utilizar sacolas retornáveis. Diversas redes de supermercado já oferecem essa opção. Assim, você pode reutilizá-las várias e várias vezes, evitando o uso de sacolas plásticas. Por serem muito resistentes, elas podem servir a você por anos e não só nas compras de supermercado.

 

Como fazer o descarte?

 

O descarte da sacola plástica precisa ser feito com cuidado. Procure sempre as lixeiras que possuem uma parte específica para itens feitos de plástico. O melhor é utilizar as sacolas o máximo possível. Por exemplo, em vez de usar a sacola uma vez e jogar fora, ela pode ser usada como saco de lixo ou ser guardada para outras compras. O mais importante é: nunca jogue em qualquer lugar.

Os sacos de lixo, por exemplo, devem ser jogados em locais adequados que a prefeitura da cidade deve disponibilizar. Lembre-se que, durante as chuvas, esses sacos descartados de qualquer maneira, entopem os bueiros, causando alagamentos e até mesmo transmitindo doenças.

Ou seja, no fim das contas não importa se na sua cidade já existe ou não sacola biodegradável, o mais importante é o que você pode fazer pelo meio ambiente. Evite o uso de sacolas plásticas num geral e, se necessário utilizá-las em algum momento, siga nossas dicas e as utilize para outras funções ou faça o descarte correto delas.

Quer saber mais sobre o meio ambiente? Continue lendo sobre o assunto e veja o que você pode fazer para preservá-lo

Compartilhe agora

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Mais sobre a Jandaia

A Empresa

Certificações

Sustentabilidade

Compromisso

© 2020 Jandaia | Grupo Bignardi - Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por: Agência Digital Lema