A tecnologia e a cicatrização da pele

A Tecnologia e a cicatrização da pele

A tecnologia é essencial e necessária para as mais diversas áreas do conhecimento, principalmente na medicina. É por meio dos avanços tecnológicos que novos tratamentos e curas são descobertos. Um deles é um tipo de “curativo inteligente” que consegue acelerar a cicatrização de cortes superficiais até os mais profundos como em uma cirurgia cardíaca, por exemplo, sem perder a qualidade.

Muitos problemas de infecção ocorrem em cicatrizes que ainda não estão fechadas e podem colocar a vida do paciente em risco. Assim, quanto antes o tecido se fechar, menor o risco de inflamações e infecções locais.

Entenda um pouco mais sobre curativo inteligente e como ele pode melhorar e muito o dia a dia dos pacientes oferecendo maior sucesso no pós-operatório e também em situações mais simples como um corte superficial. Confira!

O que são os curativos inteligentes?

Alguns modelos de curativos já estão sendo criados e testados e outros já foram até usados em ferimentos de guerra. Por exemplo, um deles é o que utiliza correntes elétricas de baixa intensidade para acelerar a cicatrização. Agora, os pesquisadores da Universidade de Harvard descobriram um novo tipo de curativo inteligente. O seu diferencial? Utilizar o calor do próprio corpo como acelerador para cicatrização.

Os curativos adesivos ativos ou ADDs (active adhesive dressing) são fabricados em hidrogel elástico. Eles possuem uma generosa lista de vantagens em relação aos curativos comuns: são mais resistentes, possuem uma adesão melhor, são antimicrobianos e são sensíveis ao calor da pele. A tecnologia utilizada nesse tipo de curativo faz com que ele se contraia quando em contato com o tecido orgânico e assim, consiga acelerar a cicatrização.

Além disso, os problemas como infecções por bactérias não seriam mais uma preocupação. Os pacientes não precisariam mais utilizar antibióticos por esse motivo já que o próprio curativo possui propriedades bactericidas. Os ADDs podem ser até utilizados para levar medicamentos e também ajudar a robótica médica. 

Como funcionam os ADDs?

A inspiração para a produção desse tipo de curativo partiu da pele de embriões humanos. A pele deles tem uma incrível capacidade de regeneração e sem deixar marcas, ou seja, não formam tecido cicatricial. É como se nos fetos, o processo de cicatrização ocorresse de forma muito rápida, como uma “mochila sendo fechada por um zíper”. Essa é a analogia feita pelos cientistas.

Então, eles tentaram imitar esse mesmo mecanismo utilizando um material de hidrogel nos curativos. Eles encolhem a uma temperatura de 32º, ou seja, abaixo da nossa e por isso, assim que entra em contato com a pele, se contrai. Por transmitir essa força de contração, o curativo ajuda na cicatrização rápida, livre de infecções e com maior qualidade.

Alguns testes já foram realizados em peles de animais, obtendo muito sucesso. O ADD “grudou” na pele de um porco (a mais parecida com a pele humana) com uma força 10x maior que a de um Band-Aid e também conseguiu impedir o crescimento de bactérias na região. Nos testes feitos em ratos, as feridas conseguiram ficar 45% menores. Por todos esses resultados positivos é bem possível que o produto esteja no mercado em breve, mas novos testes ainda são necessários.

Outras opções de curativos

Como dissemos acima, além do ADD existem outros tipos de curativos sendo descobertos e alguns já estão no mercado. Vejamos um pouco sobre os mais conhecidos.

Curativo a Vácuo (VAC)

Esse já está no mercado e vem sendo utilizado amplamente por profissionais de saúde. O VAC é um tipo de curativo que exerce uma pressão negativa controlada, ou seja, ele faz uma espécie de vácuo. Isso por sua vez, estimula a produção de novos vasos sanguíneos, algo extremamente necessário para quem possui feridas. Com uma quantidade maior de vasos, mais oxigênio e nutrientes são direcionados para o tecido em questão. Assim, a cicatriz consegue se formar mais rapidamente.

Além de acelerar o processo de cicatrização, esse tipo de curativo também oferece outras vantagens. Ele reduz o edema (líquido que se forma por causa da inflamação local e que deixa a região inchada), remove os fluidos existentes na ferida e também reduz a proliferação de bactérias.

Curativo de Carvão Ativado

Esse tipo de curativo possui algumas vantagens como evitar que a ferida desenvolva odores, absorvendo o mau cheiro e também evitando a proliferação de bactérias por causa da presença da prata. Ele é bastante indicado para os casos de úlceras, feridas superficiais ou profundas e principalmente para aquelas com presença de fungos e formação de pus.

Membrana Regeneradora Porosa

Trata-se de uma membrana de celulose que consegue substituir a nossa pele temporariamente e, ao mesmo tempo, consegue acelerar o processo de cicatrização. Ela também tem a vantagem de reduzir de maneira significativa a formação de secreção, sendo drenada pelos poros. Além de todas essas vantagens, ela é bastante prática e o paciente pode ficar com ela durante 12 dias seguidos se não surgirem sinais de inflamação ou infecção.

A tecnologia ajuda muito a área da saúde e torna a vida de milhares de pessoas melhor. Muitos pacientes que possuem feridas sentem-se constrangidos por causa do mau cheiro ou mesmo pela aparência. Além disso, ficam bastante restritos, não podendo sair de casa ou se locomover com facilidade. Por isso, curativos como os ADDs são uma inovação e tanto, capazes melhorar bastante a qualidade de vida.

E você? Conhece alguém que precisa ou gostaria de saber mais sobre esse assunto? Então, compartilhe este post nas suas redes sociais e marque essa pessoa!

Compartilhe agora

Facebook
Google+
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Mais sobre a Jandaia

A Empresa

Certificações

Sustentabilidade

Compromisso

© 2020 Jandaia | Grupo Bignardi - Todos os Direitos Reservados

Desenvolvido por: Agência Digital Lema